< Voltar

 
 

 

 

Ibovespa termina 2019 com alta de 31,58%

 

Ibovespa encerrou o ano em valorização de 31,58%, a 115.645 pontos.

E Itabaiana - 30dez19

   

 


 

O Ibovespa - principal índice da bolsa de valores brasileira, a B3, fechou o último pregão do ano a 115.645 pontos, e acumulou em 2019 alta de 31,58% – a maior variação anual desde 2016.

Desconsiderada a inflação, o retorno do Ibovespa foi de 27,6% no ano, também o maior desde 2016.

 

Cenário local e externo
 

Com o noticiário corporativo pouco movimentado, o mercado analisou nesta segunda a pesquisa Focus, divulgada pelo Banco Central, que mostrou leves ajustes para cima no PIB e na inflação deste ano e de 2020, segundo a Reuters.

O levantamento mostrou que a expectativa para o crescimento do PIB passou de 1,16% para 1,17% em 2019 e de 2,28% para 2,30% no próximo ano. Já a estimativa para a inflação passou de 3,98% para 4,04% para 2019 e de 3,60% para 3,61% em 2020, seguindo confortavelmente abaixo das metas para os períodos – 4,25% este ano e 4% em 2020.

Ações que mais ganharam e perderam no ano

 

No ano, os papéis de Qualicorp foram os que mais subiram dentre os que compõe o Ibovespa, acumulando mais de 240% de alta. Na sequência vêm BTG Pactual (235%), Via Varejo (154%), Notredame Intermédica (136%) e JBS (123%).

No lado oposto, apenas seis empresas do índice registraram desvalorização. As ações da Braskem tiveram o pior desempenho (-35%), seguidas de CVC Brasil (-28%), Embraer (-9%), Smiles (-3,6%), Ultrapar (-1,8%) e Cielo (-0,6%).

Maior alta em 3 anos
 

O mercado de ações se tornou mais atrativo em 2019 em meio aos sucessivos cortes na taxa básica de juros (Selic), que começou o ano em 6,5% ao ano e termina em 4,5% – a menor desde que foi estabelecido o regime de metas de inflação no país.

Ajudada ainda por outros fatores, como juros baixos também no exterior e um clima positivo nos mercados mundiais, a bolsa brasileira bateu recordes em 2019. Em março, o Ibovespa alcançou os 100 mil pontos pela primeira vez. E em dezembro, chegou aos 117 mil. A máxima de fechamento do ano foi registrada no dia 26 de dezembro, quando o Ibovespa encerrou a sessão aos 117.203 pontos.

A sequência de recordes da Bovespa em 2019 também é explicada pela maior entrada de investidores. Em 2019, a quantidade de brasileiros que investem na bolsa praticamente dobrou, chegando a 1,6 milhão de pessoas físicas.

Este é o quarto ano consecutivo de ganhos do Ibovespa, que passou de 87.887 pontos no final de 2018 e rompeu m 2019 pela primeira vez o patamar dos 100 mil pontos.

Este também foi o segundo ano de crescimento mais rápido da década, após a disparada de quase 39% em 2016. Esse salto ocorreu após a queda de mais de 13% em 2015, quando o país afundava em uma recessão.

O desempenho da bolsa este ano também foi guiado pela recuperação econômica do país, ainda que ela esteja acontecendo de forma mais lenta do que o esperado inicialmente.

No âmbito internacional, a guerra comercial entre Estados Unidos e China, que trouxe volatilidade para os mercados em todo o mundo em 2019, encerrou o ano "em seu melhor momento" e que esse tom deverá permanecer em 2020, ano de eleições nos EUA.

Outras bolsas no mundo
 

A bolsa brasileira não foi a única a ter altos rendimentos este ano, fortalecidos nas últimas semanas com os sinais de um acordo para acabar com a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos.

S&P500 fechou 2019 em 3.221 pontos, batendo recorde atrás de recorde o ano inteiro. No final, a variação anual foi positiva em +28,5%. Em Wall Street, o Dow Jones e o Nasdaq acumulam ganhos de 22% e 35%, respectivamente. Na Europa, o DAX de Frankfurt ganhou 26% e o CAC 40 de Paris, 27% – o mesmo que o FTSE MIB de Milão.

O dólar encerrou 2019 com uma alta de 3,56% no ano.

 

Feliz 2020!!!

 

InvestGraf - Stock Investment Advisors © 2006 ~ 2020 Todos os direitos reservados